J.A.T. template series was designed 2006 by 4bp.de: www.4bp.de, www.oltrogge.ws
32-Informação Paroquial de 11 a 18 de Agosto 2013 Imprimir EMail

INFORMAÇÃO  PAROQUIAL  DE 11 A 18 DE AGOSTO DE 2013

01.  Peregrinação Paroquial– Nossa Senhora do Carmo da  Penha – Guimarães, Dia 1 de Setembro: Incrições na Sacrista da Igreja Matriz  e em todos os Centros. Prazo de Inscrição: Até 25 de Agosto.

 

02.  Na Capela Monte Crasto-Missa de Ação de Graças a Nossa Senhora dia 13 de Agosto às 08:30h

 

03.  Rosário na Matriz-Dia 13 de Agosto Às 21:30h –  A cargo da Mensagem de Fátima.

 

04. Reunião GAC(Grupo de Animação e Cultura) – Dia 13 de Agosto às 08:30h.

 

 

05.  Sensibilização e apelo à Dádiva de Sangue: A Associação de Dadores de Sangue de Gondomar vai realizar mais uma colheita de sangue, no Pavilhão Multiusos de Gondomar nas seguintes datas e horários

·         Dia 14 de Agosto das 16h00 ás 19h30

·         Dias 17 e 18 de Agosto das 09h00 ás 12h30 - Dê Sangue e salve vidas

06.  Véspera de Nossa Senhora da Assunção- Missa Vespertina dia14 de Agosto 19:00h Na Matriz

 

07.  Dia de Nossa Senhora da Assunção 15 de Agosto- Missas 07:30h 09:30h

08.  Festa Sacerdotal da Comunidade Paroquial:No Anfiteatro do Souto Dia 15 de Agosto, 17,30h

 Missa de Júbilo e Ação de Graças pelo Povo de Deus – Povo Sacerdotal e pelo dom do Sacramento da Ordem: 25 Anos de sacerdócio do nosso Pároco e 50 do Padre Damião Basto, filho de Gondomar.Estão Convidados para a Eucaristia todos os movimentos e estruturas Paroquias com a catequese – confrarias  e em geral todos os paroquianos.No final da celebração Convivio com jantar volante na Tenda da Amizade-para este jantar volante, foi necessário fazer uma prévia inscrição

 

09.  Marcação de Casamentos para 2013 – A partir de 03 de Setembro 2013.

 

10.  Quem pensa Batizar ou ser Padrinho precisa aparecer com muita antecedência: no mínimo 3 meses. A Bênção das Mães grávidas é momento feliz para esta preparação.

 

11.  DIREITOS PAROQUIAIS – Todas as Famílias cristãs, tê o direito e o dever de participar na missão da Igreja: na Caridade, na promoção da Justiça Social e Dignidade Humana, no Apostolado e na partilha de Bens: espirituais e materiais, do Ser e do Ter. É uma obrigação anual de todas as Famílias. Em Portugal, está indicado a partilha em todas as Eucaristias, nas Campanhas e sempre um Dia de Rendimento da Família para a Comunidade. Quem não puder, ou precisar de apoio, estará totalmente à vontade propondo a situação.

 

Toda a Comunidade Paroquial de Gondomar/S. Cosme e S. Damião, vive um momento de Ação de Graças e Súplica ao Senhor, pelas vocações consagradas. Confiemos ao  Senhor todas as Famílias de Gondomar. Para que sejam sempre comunidades de Fé, de Oração, de experiência do serviço e doação, escolas de vida, afetos, lealdade. Ano da Fé, tempo de caminhada sacerdotal, de todo o Povo de Deus. O Pároco deseja a todas as Famílias um feliz e profícuo Agosto. Parabéns aos que casaram nestes Dias, batizaram e celebraram Bodas Matrimoniais. Paz e Alegria, para todos.

 

12.  MISSAS DOMINICAIS NA MATRIZ – HORÁRIO DE VERÃO:  Agosto      

AGOSTO

SÁBADO: 19;00H E 21;30H

DOMINGO: 07;30 E 09;30H   -   NÃO HÁ MISSA ÀS 11H, NEM ÀS 19;

 

ACONTECE PROXIMAMENTE – REGISTE JÁ E RESERVE DISPONIBILIDADE

 

§   BÊNÇÃO DAS MÃES GRÁVIDAS – Dia 08 de Setembro – Festa do Nascimento de Nossa Senhora – às 11.00h, na nossa Igreja Paroquial. Pedimos Inscrição prévia na Sacristia, por favor.

 

§   Ano 2017 Centenário da Senhora do Rosário de Fátima. Tema do Ano 2013: «Não tenhais medo»

 

§   Pode também acompanhar a vida da nossa Comunidade e melhor vir às Celebrações e Eventos, em http://goo.gl/TFvOS Experimente o link.

 

 

DOMINGO XIX – Tempo Comum C    -  EVANGELHO – Forma longa Lc 12, 32-48 – 11 de Agosto 2013

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não temas, pequenino rebanho, porque aprouve ao vosso Pai dar-vos o reino. Vendei o que possuís e dai-o em esmola. Fazei bolsas que não envelheçam, um tesouro inesgotável nos Céus, onde o ladrão não chega nem a traça rói. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará o vosso coração. Tende os rins cingidos e as lâmpadas acesas. Sede como homens que esperam o seu senhor ao voltar do casamento, para lhe abrirem logo a porta, quando chegar e bater. Felizes esses servos, que o senhor, ao chegar, encontrar vigilantes. Em verdade vos digo: cingir-se-á e mandará que se sentem à mesa e, passando diante deles, os servirá. Se vier à meia-noite ou de madrugada, felizes serão se assim os encontrar. Compreendei isto: se o dono da casa soubesse a que hora viria o ladrão, não o deixaria arrombar a sua casa. Estai vós também preparados, porque na hora em que não pensais virá o Filho do homem». Disse Pedro a Jesus: «Senhor, é para nós que dizes esta parábola, ou também para todos os outros?». O Senhor respondeu: «Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor estabelecerá à frente da sua casa, para dar devidamente a cada um a sua ração de trigo? Feliz o servo a quem o senhor, ao chegar, encontrar assim ocupado. Em verdade vos digo que o porá à frente de todos os seus bens. Mas se aquele servo disser consigo mesmo: ‘O meu senhor tarda em vir’, e começar a bater em servos e servas, a comer, a beber e a embriagar-se, o senhor daquele servo chegará no dia em que menos espera e a horas que ele não sabe; ele o expulsará e fará que tenha a sorte dos infiéis. O servo que, conhecendo a vontade do seu senhor, não se preparou ou não cumpriu a sua vontade, levará muitas vergastadas. Aquele, porém, que, sem a conhecer, tenha feito acções que mereçam vergastadas, levará apenas algumas. A quem muito foi dado, muito será exigido; a quem muito foi confiado, mais se lhe pedirá». Palavra da salvação.

 

A BELEZA  E A VERDADE DA LITURGIA

CONGREGAÇÃO PARA O CULTO DIVINO E A DISCIPLINA DOS SACRAMENTOS

INSTRUÇÃO

REDEMPTIONIS SACRAMENTUM

Sobre algumas coisas que se devem observar
e evitar acerca da Santíssima Eucaristia

 

ÍNDICE

 

PROÊMIO [1-13]

CAPÍTULO I

A ordenação da sagrada Liturgia [14-18]

1. O Bispo diocesano, grande sacerdote de seu rebanho [19-25]
2. A Conferência de Bispos [26-28]
3. Os presbíteros [29-33] 4. Os diáconos [34-35]

CAPÍTULO II

A participação dos fiéis leigos na celebração da Eucaristia

1. Uma participação ativa e consciente [36-42]
2. Tarefas dos fiéis leigos na celebração da santa Missa [43-47]

CAPÍTULO III

A celebração correta da santa Missa

1. A matéria da Santíssima Eucaristia [48-50]
2. A Oração eucarística [51-56]
3. As outras partes da Missa [57-74]
4. A união de vários ritos com a celebração da Missa [75-79]

CAPÍTULO IV

A sagrada Comunhão

1. As disposições para receber a sagrada Comunhão [80-87]
2. A distribuição da sagrada Comunhão [88-96]
3. A Comunhão dos sacerdotes [97-99]
4. A Comunhão sob as duas espécies [100-107]

CAPÍTULO V

Outros aspectos que se referem à Eucaristia

1. O lugar da celebração da santa Missa [108-109]
2. Diversos aspectos relacionados com a santa Missa [110-116]
3. Os vasos sagrados [117-120]
4. As vestes litúrgicas [121-128]

CAPÍTULO VI

A conservação da santa Eucaristia e seu culto fora da Missa

1. A conservação da Santíssima Eucaristia [129-133]
2. Algumas formas de culto à santa Eucaristia fora da Missa [134-141]
3. As procissões e os congressos eucarísticos [142-145]

CAPÍTULO VII

Ministérios extraordinários dos fiéis leigos [146-153]

1. O ministro extraordinário da sagrada Comunhão [154-160]
2. A pregação [161]
3. Celebrações particulares que se realizam na ausência do sacerdote [162-167]
4. Aqueles que têm sido afastados do estado clerical [168]

CAPÍTULO VIII

As Correções [169-171]

1. Graviora delicta (Atos Graves) [172]
2. Os atos graves [173]
3. Outros abusos [174-175]
4. O Bispo diocesano [176-180]
5. A Sé apostólica [181-182]
6. Queixas pelos abusos em matéria litúrgica [183-184]

CONCLUSÃO [185-186]

Continuação: 

CAPÍTULO VIII

AS CORREÇÕES

2. Os atos graves

[173.] Embora o critérios sobre a gravidade dos atos se faz conforme à doutrina comum da Igreja e às normas por ela estabelecidas, como atos graves se consideram sempre, objetivamente, os que põe em perigo a validade e dignidade da Santíssima Eucaristia, isto é, contra o que se explicou mais acima, nos números: 48-52, 56, 76-77, 79, 91-92, 94, 96, 101-102, 104, 106, 109, 111, 115, 117, 126, 131-133, 138, 153 e 168. Prestando-se atenção, além disso, a outras prescrições do Código de Direito Canônico, e especialmente ao que se estabelece nos cânones 1364, 1369, 1373, 1376, 1380, 1384, 1385, 1386 e 1398.

3. Outros abusos

[174.] Além disso, aquelas ações, contra o que se trata nos outros lugares desta Instrução ou nas normas estabelecidas pelo direito, não se devem considerar de pouca importância, mas sim incluir-se entre os outros abusos a evitar e corrigir com solicitude.

[175.] Como é evidente, o que se expõe nesta Instrução não compreende todas as violações contra a Igreja e sua disciplina, que nos cânones, nas leis litúrgicas e em outras normas da Igreja, têm sido definidas pela essência do Magistério e a santa tradição. Quando algo seja mal realizado, corrija-se, conforme às normas do direito.

4. O Bispo diocesano

[176.] O Bispo diocesano, «por ser o dispensador principal dos mistérios de Deus, tem de cuidar incessantemente para que os fiéis que lhe estão confiado cresçam na graça pela celebração dos sacramentos, e conheçam e vivam o mistério pascal».[285] Ao Bispo ainda corresponde, «dentro dos limites de seu competência, dar normas obrigatórias para todos, sobre matéria litúrgica».[286]

[177.] «Dado que tem obrigação de defender a unidade da Igreja universal, o Bispo deve promover a disciplina que é comum a toda a Igreja e, por tanto, exigir o cumprimento de todas as leis eclesiásticas. Tem de vigiar para que não se introduzam abusos na disciplina eclesiástica, especialmente acerca do ministério da palavra, a celebração dos sacramentos e sacramentais, o culto de Deus e dos Santos».[287]

[178.] Portanto, quantas vezes o Ordinário, seja ele de algum Instituto religioso ou Sociedade de vida apostólica noticie, ao mínimo provável, de um delito ou abuso que se referir à Santíssima Eucaristia, informe-se prudentemente, por si e pelo outro clérigo idôneo, dos feitos, das circunstâncias e da culpabilidade.

[179.] Os delitos contra a fé e também os graviora delicta (atos graves) cometidos na celebração da Eucaristia e nos outros sacramentos, sejam comunicados sem demora à Congregação para a Doutrina da Fé, a qual «examinará e, em caso necessário, procederá a declarar ou impor sanções canônicas do direito, tanto comum como próprio».[288]

[180.] De outro modo, o Ordinário proceda conforme à norma dos sagrados cânones, aplicando, quando seja necessário, penas canônicas e recordando de modo especial não estabelecido no cânon 1326. Tratando-se de feitos graves, faça-se saber à Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

- Continua

 

< anterior   Seguinte >
J.A.T. template series was designed 2006 by 4bp.de: www.4bp.de, www.oltrogge.ws
Patanol