J.A.T. template series was designed 2006 by 4bp.de: www.4bp.de, www.oltrogge.ws
22-InformaçãoParoquial de 02 a 09 Junho 2013 Imprimir EMail

 

INFORMAÇÃO PAROQUIAL DE 02 A 09 DE JUNHO 2013

01  Profissão de Fé - Dia 02 de Junho, às 11:00,

no Coberto  da Escola Secundária GDM. Neste dia, 02 de Junho,

não há Missa às 19:00h, na Igreja Paroquial

02  CORPO DE DEUS EM ANO DA FÉ - Proposta de Uma Hora de

Adoração em cada Centro - Dia 02 de Junho, das 15h às 16h,

antes da Missa Solene do Corpo de Deus.

03  Corpo de Deus - Missa Solene em Dia da Unidade Paroquial -

Dia 02 de Junho: às 16:30h-Acolhimento e Ensaio de Cânticos;

17h - Missa Solene, seguida da habitual Procissão para a Matriz.

Este Ano vai ser no Coberto da Escola Secundária de Gondomar.  

04  Confraria de S. Isidoro e Nossa Senhora da Lapa - Reúne no dia 03, 

às 21:30h,no Monte Crasto.

05  Comissão das Festas Sacerdotais - Reúne Dia 03 de Junho,

às 21:30h,no Salão Paroquial.

06  Reunião de Leitores da Matriz-Dia 3 de Junho,às 21:30h

07  Novenas de Santo António - De 03 a 14 de Junho, às 21:00h,

na Capela de Santo António.

08  SPEC - Reúne no dia 04, às 21:30h, em Aguiar.

09  Confissões para a Primeira Sexta Feira - Dia 05, às 15:00h, na Matriz.

10  Adoração Eucarística com 8º ano da Catequese - Dia 06 de Junho,

às 21:30h, na Matriz.

11  PRÓXIMO CONVIVIO NA TENDA DA AMIZADE - Zona de Ermentão,

dia 8 de junho. Feirinha logo pela manhã, com produtos agrícolas.

Serviço de Almoço para fora. Jantar a partir das 19:30h.Venham todos conviver.

Traga um vizinho, um amigo.

12  Peregrinação Nacional das Crianças a Fátima: Dia 10 de Junho.

De São Cosme, todo o 4º ano.

13  Festa de NSª.SRª. Atalaia e dos Remédios - Aguiar: 

Peditório dias 1, 2, 8,9 e 10 de Junho.

14  Festa do Senhor dos Aflitos no Calvário -

Peditório começa no dia  1 de Junho.

15  Matrículas para a Catequese: Durante o mês de Junho.

As crianças que completam 6 anos em 2013, fazem a matricula para

o 1º ano de Catequese. Todas as Outras Renovam a sua Matricula.

 

 

 

OUTROS ASSUNTOS

  • Marcação de Bodas de Ouro e Prata. Marcações na Sacristia da Matriz ou no Cartório Paroquial, nos horários de atendimento.
  • Quintas-feiras - Todo o dia está o Senhor exposto na Igreja. Convidam-se os Adoradores, a inscreverem-se para "Vigiar uma Hora com Jesus" (Cf. Mt.26,41-42) «Nem sequer pudeste vigiar uma hora comigo! Vigiai e orai, para não cairdes em tentação».
  • Férias em Fátima, para Pais com Pessoas Deficientes: Inscrição até 30 de Junho. Informações: http://www.fatima.pt/portal/index.php?id=43618.

 

O Pároco, saúdo a todos os Visitantes,na comunhão e alegria de Jesus Cristo, Eucaristia, que nos é oferecido neste Sacramento do seu Amor: a sagrada Eucaristia. Aos Noivos a preparar o seu Casamento, aos Jovens que vão entrar em Exames, Aos que nesta Semana farão Anos de Nascimento, de Batismo ou Casamento Dias felizes com Jesus Cristo, Pão da Vida que nos é dado na Eucaristia. Às famílias de luto, sentioda comunhão na oração e na Esperança. A todas as Famílias, uma boa semana, na Paz e Amor de Jesus.

O Pároco, P. Alípio

 

FESTAS SACERDOTAIS EM GONDOMAR

 

Próximos Eventos, desta Caminhada sacerdotal de todo o Povo:

 

§   Comissão das Festas Sacerdotais - Reúne Dia 03 de Junho, às 21:30h, no Salão Paroquial.

 

ACONTECE PROXIMAMENTE

Para ir registando e reservando disponibilidade

§   CAE-(Conselho Assuntos Económicos-Reúnem dia 11, às21.30h

§   Movimento Mensagem de Fátima-Reúne às 09:30hVida Ascendente-Reúne dia 12 -ás 15:30h

§   Missa Monte Crasto-dia 13 às 08:30h

§   Dia de Santo António-Dia 13  Missa e Benção de Pão às 09:30h

§   Aniversário Agrupamento 278- Convivio na Tenda -dia 15

§   Festa Santo António-dia 16 de Junho-Missa solene às11:30h- Procissão às 17:00h 

§   Festa da Catequese Matriz-Missa às 16:00h -Logo a seguir Convívio                                                                                                                                                                                          

§   Crisma na nossa Paróquia de Gondomar/S. Cosme - Dia 13 de Julho, às 16:00h, na Matriz.

§   Confissões preparatórias - Dia 02 de Julho, 21,30h.

§   Vigilia com o Sr. Bispo - Dia 05 Julho, 21,30h.

§   Pede-se aos paroquianos para não irem a Eucaristia das 16:00h do dia 13 de Julho Matriz- Crisma

 

Ano 2017 Centenário da Senhora do Rosário de Fátima. Tema do próximo Ano 2013: «Não tenhais medo» Pode também acompanhar a vida da nossa Comunidade e melhor vir às Celebrações e Eventos, em http://goo.gl/TFvOS Experimente o link.

Liturgia comentada: Portal dos Dehonianos

Corpo de Deus

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas, - Lc 9, 11b-17

Naquele tempo, estava Jesus a falar à multidão sobre o reino de Deus e a curar aqueles que necessitavam. O dia começava a declinar. Então os Doze aproximaram-se e disseram-Lhe: «Manda embora a multidão para ir procurar pousada e alimento às aldeias e casais mais próximos, pois aqui estamos num local deserto». Disse-lhes Jesus: «Dai-lhes vós de comer». Mas eles responderam: «Não temos senão cinco pães e dois peixes... Só se formos nós mesmos comprar comida para todo este povo». Eram de facto uns cinco mil homens. Disse Jesus aos discípulos: «Mandai-os sentar por grupos de cinquenta». Assim fizeram e todos se sentaram. Então Jesus tomou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos ao Céu e pronunciou sobre eles a bênção. Depois partiu-os e deu-os aos discípulos, para eles os distribuírem pela multidão. Todos comeram e ficaram saciados; e ainda recolheram doze cestos dos pedaços que sobraram. Palavra da Salvação.

 

 

A BELEZA  E A VERDADE DA LITURGIA

CONGREGAÇÃO PARA O CULTO DIVINO E A DISCIPLINA DOS SACRAMENTOS

INSTRUÇÃO

REDEMPTIONIS SACRAMENTUM

 

Sobre algumas coisas que se devem observar 
e evitar acerca da Santíssima Eucaristia

 

 

ÍNDICE

 

PROÊMIO [1-13]

CAPÍTULO I

A ordenação da sagrada Liturgia [14-18]

 

1. O Bispo diocesano, grande sacerdote de seu rebanho [19-25] 
2. A Conferência de Bispos [26-28] 
3. Os presbíteros [29-33] 4. Os diáconos [34-35]

 

CAPÍTULO II

A participação dos fiéis leigos na celebração da Eucaristia

 

1. Uma participação ativa e consciente [36-42] 
2. Tarefas dos fiéis leigos na celebração da santa Missa [43-47]

 

CAPÍTULO III

A celebração correta da santa Missa

 

1. A matéria da Santíssima Eucaristia [48-50] 
2. A Oração eucarística [51-56] 
3. As outras partes da Missa [57-74] 
4. A união de vários ritos com a celebração da Missa [75-79]

 

CAPÍTULO IV

A sagrada Comunhão

 

1. As disposições para receber a sagrada Comunhão [80-87] 
2. A distribuição da sagrada Comunhão [88-96] 
3. A Comunhão dos sacerdotes [97-99] 
4. A Comunhão sob as duas espécies [100-107]

 

CAPÍTULO V

Outros aspectos que se referem à Eucaristia

 

1. O lugar da celebração da santa Missa [108-109] 
2. Diversos aspectos relacionados com a santa Missa [110-116] 
3. Os vasos sagrados [117-120] 
4. As vestes litúrgicas [121-128]

 

CAPÍTULO VI

A conservação da santa Eucaristia e seu culto fora da Missa

 

1. A conservação da Santíssima Eucaristia [129-133] 
2. Algumas formas de culto à santa Eucaristia fora da Missa [134-141] 
3. As procissões e os congressos eucarísticos [142-145]

 

CAPÍTULO VII

Ministérios extraordinários dos fiéis leigos [146-153]

 

1. O ministro extraordinário da sagrada Comunhão [154-160] 
2. A pregação [161] 
3. Celebrações particulares que se realizam na ausência do sacerdote [162-167] 
4. Aqueles que têm sido afastados do estado clerical [168]

 

CAPÍTULO VIII

As Correções [169-171]

 

1. Graviora delicta (Atos Graves) [172] 
2. Os atos graves [173] 
3. Outros abusos [174-175] 
4. O Bispo diocesano [176-180] 
5. A Sé apostólica [181-182] 
6. Queixas pelos abusos em matéria litúrgica [183-184]

 

CONCLUSÃO [185-186]

Continuação: 

CAPÍTULO I

A ORDENAÇÃO DA SAGRADA LITURGIA

[14.] «A ordenação da sagrada Liturgia é da competência exclusiva da autoridade eclesiástica; esta reside na Sé apostólica e, na medida que determine a lei, no Bispo».[34]

[15.] O Romano Pontífice, «Vigário de Cristo e Pastor da Igreja universal na terra... tem, em virtude de sua função, poderio ordinário, supremo, pleno, imediato e universal na Igreja, e que pode sempre exercer livremente»,[35] ainda comunicando aos pastores e aos fiéis.

[16.] Compete à Sé apostólica ordenar a sagrada Liturgia da Igreja universal, editar os livros litúrgicos, revisar suas traduções a línguas vernáculas e vigiar para que as normas litúrgicas, especialmente aquelas que regulam a celebração do santo Sacrifício da Missa, se cumpram fielmente em todas partes.[36]

[17.] «A Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos trata no que corresponde a Sé apostólica, salvo a competência da Congregação para a Doutrina da Fé, respectivamente à ordenação e promoção da sagrada liturgia, em primeiro lugar dos sacramentos. Fomenta e tutela a disciplina dos sacramentos, especialmente referente a sua celebração válida e lícita». Finalmente, «vigia atentamente para que se observem com exatidão as disposições litúrgicas, se previnam seus abusos e se erradiquem onde se encontrem».[37] Nesta matéria, conforme à tradição de toda a Igreja, destaca o cuidado da celebração da santa Missa e do culto que se tributa à Eucaristia fora da Missa.

[18.] Os fiéis têm direito a que a autoridade eclesiástica regule a sagrada Liturgia de forma plena e eficaz, para que nunca seja considerada a liturgia como «propriedade privada, nem do celebrante, nem da comunidade em que se celebram os Mistérios».[38]

1. O Bispo Diocesano, grande Sacerdote de seu rebanho

[19.] O Bispo diocesano, primeiro administrador dos mistérios de Deus na Igreja particular que lhe tem sido confiada, como o moderador, promotor e custódio de toda a vida litúrgica.[39] Pois «o Bispo, por estar revestido da plenitude do sacramento da Ordem, é "o administrador da graça do supremo sacerdócio"[40], sobretudo na Eucaristia, que ele mesmo celebra ou procura que seja celebrada[41], e mediante a qual a Igreja vive e cresce continuamente».[42]

[20.] A principal manifestação da Igreja tem lugar cada vez que se celebra a Missa, especialmente na igreja catedral, «com a participação plena e ativa de todo o povo santo de Deus, [...] em uma mesma oração, junto ao único altar, onde preside o Bispo» rodeado por seu presbitério, os diáconos e ministros.[43] Além disso, «toda legítima celebração da Eucaristia é dirigida pelo Bispo, a quem tem sido confiado o ofício de oferecer à Divina Majestade o culto da religião cristã e de regulamentá-lo em conformidade com os preceitos do Senhor e as leis da Igreja necessitadas mais concretamente para sua diocese, de acordo com seu critério».[44]

[21.] Com efeito, «ao Bispo diocesano, na Igreja a ele confiada e dentro dos limites de sua competência, corresponde-lhe dar normas obrigatórias para todos, sobre a matéria litúrgica».[45] Sem dúvida, o Bispo deve ter sempre presente que não se impeça a liberdade prevista nas normas dos livros litúrgicos, adaptando a celebração, de modo inteligente, seja à igreja, seja ao grupo de fiéis, seja às circunstâncias pastorais, para que todo o rito sagrado universal esteja verdadeiramente acomodado ao caráter dos fiéis.[46]

[22.] O Bispo rege a Igreja particular que lhe tem sido confiada[47] e a ele corresponde regulamentar, dirigir, estimular e algumas vezes também repreender[48], cumprindo o ministério sagrado que tem recebido pela ordenação episcopal,[49] para edificar seu rebanho na verdade e na santidade.[50] Explique o autêntico sentido dos ritos e dos textos litúrgicos e eduque no espírito da sagrada Liturgia aos presbíteros, diáconos e fiéis leigos,[51] para que todos sejam conduzidos a uma celebração ativa e frutuosa da Eucaristia,[52] e cuide igualmente para que todo o corpo da Igreja, com o mesmo espírito, na unidade da caridade, possa progredir na diocese, na nação, no mundo.[53]

[23.] Os fiéis «devem estar unidos a seu Bispo como a Igreja a Jesus Cristo, e como Jesus Cristo ao Pai, para que todas as coisas se harmonizem na unidade e cresçam para glória de Deus».[54] Todos, inclusive os membros dos Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, e todas as associações ou movimentos eclesiais de qualquer gênero, estão submetidos à autoridade do Bispo diocesano em todo o que se referir à liturgia,[55] salvo as legítimas concessões do direito. Por tanto, compete ao Bispo diocesano o direito e o dever de visitar e vigiar a liturgia nas igrejas e oratórios situados em seu território, também aqueles que sejam fundados ou dirigidos pelos citados institutos religiosos, além dos fiéis, ainda que de forma habitual.[56]

[24.] O povo cristão, por sua parte, tem direito a que o Bispo diocesano vigie para que não se introduzam abusos na disciplina eclesiástica, especialmente no ministério da palavra, na celebração dos sacramentos e sacramentais, no culto a Deus e aos santos.[57]

[25.] As comissões, pareceres dos comitês, instituídos pelo Bispo, para que contribuam a «promover a ação litúrgica, a música e a arte sacra em sua diocese», devem atuar de acordo com critérios e normas do Bispo, sob sua autoridade e contando com sua confirmação; assim cumprirá seu tarefa adequadamente[58] e se manterá na diocese o governo efetivo do Bispo. Destes organismos, de outros institutos e de qualquer outra iniciativa em matéria litúrgica, depois de certo tempo, resulta urgentemente que os Bispos indaguem se até o momento tem sido frutuosa[59] sua atividade, e cautelosamente quais as correções ou melhoramentos se devem introduzir em seu estrutura e em sua atividade,[60] para que encontrem nova vitalidade. Se tenha sempre presente que os peritos devem ser elegidos entre aqueles que sejam firmes na fé católica e verdadeiramente preparados nas disciplinas teológicas e culturais.

2. A Conferência dos Bispos

[26.] Isto vale também para as comissões da mesma matéria, que, vivamente desejadas pelo Concílio,[61] são instituídas pela Conferência de Bispos e da qual é necessário que sejam membros os Bispos, sendo distintos com clareza dos ajudantes peritos. Quando o número dos membros da Conferência de Bispos não seja suficiente para que se elejam entre eles, sem dificuldade e se institua a comissão litúrgica, nomeie-se um conselho com o grupo de peritos que, na medida do possível e sempre sob a presidência de um Bispo, desempenhem estas tarefas; evitando, sem dúvida, o nome de «comissão litúrgica».

[27.] A interrupção de todos os experimentos sobre a celebração da santa Missa, tem sido notificada pela santa Sé já desde o ano 1970 [62] e novamente se repetiram, para se recordarem, no ano 1988.[63] Portanto, cada Bispo e a mesma Conferência não têm nenhuma capacidade para permitir experimentos sobre os textos litúrgicos ou sobre outras coisas que se indicam nos livros litúrgicos. Para que se possam realizar no futuro tais experimentos, se requer a permissão da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, que concederá por escrito, prévia petição da Conferência de Bispos. Para isso não se concederá a não ser numa causa grave. No que se refere à inculturação em matéria litúrgica, devem-se observar, estrita e integralmente, as normas especiais estabelecidas.[64]

[28.] Todas as normas referentes à liturgia, que a Conferência de Bispos determine para seu território, conforme às normas do direito, se devem submeter ao reconhecimento da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, sem a qual, não têm valor legal.[65] - Continuaoquial - Dia 02 de Junho: às 16:30h-Acolhimento e Ensaio de Cânticos; 17h - Missa Solene, seguida da habitual Procissão para a Matriz. Este Ano vai ser no Coberto da Escola Secundária de Gondomar. 
04 Confraria de S. Isidoro e Nossa Senhora da Lapa - Reúne no dia 03 de Junho, às 21:30h, no Monte Crasto.
05 Comissão das Festas Sacerdotais - Reúne Dia 03 de Junho, às 21:30h, no Salão Paroquial.
06 Reunião de Leitores da Matriz-Dia 3 de Junho,às 21:30h
07 Novenas de Santo António - De 03 a 14 de Junho, às 21:00h, na Capela de Santo António.
08 SPEC - Reúne no dia 04, às 21:30h, em Aguiar.
09 Confissões para a Primeira Sexta Feira - Dia 05, às 15:00h, na Matriz.
10 Adoração Eucarística com 8º ano da Catequese - Dia 06 de Junho, às 21:30h, na Matriz.
11 PRÓXIMO CONVIVIO NA TENDA DA AMIZADE - Zona de Ermentão, dia 8 de junho. Feirinha logo pela manhã, com produtos agrícolas. Serviço de Almoço para fora. Jantar a partir das 19:30h.Venham todos conviver. Traga um vizinho, um amigo. 
12 Peregrinação Nacional das Crianças a Fátima: Dia 10 de Junho. De São Cosme, todo o 4º ano. 
13 Festa de NSª.SRª. Atalaia e dos Remédios em Aguiar - Peditório nos dias 1 e 2, 8,9 e 10 de Junho.
14 Festa do Senhor dos Aflitos no Calvário - Peditório começa no dia 1 de Junho.
15 Matrículas para a Catequese: Durante o mês de Junho. As crianças que completam 6 anos em 2013, fazem a matricula para o 1º ano de Catequese. Todas as Outras Renovam a sua Matricula.

 

OUTROS ASSUNTOS
• Marcação de Bodas de Ouro e Prata - 2013 - Marcações na Sacristia da Matriz ou no Cartório Paroquial, nos horários de atendimento.
• Quintas-feiras - Todo o dia está o Senhor exposto na Igreja. Convidam-se os Adoradores, a inscreverem-se para "Vigiar uma Hora com Jesus" (Cf. Mt.26,41-42) «Nem sequer pudeste vigiar uma hora comigo! Vigiai e orai, para não cairdes em tentação».
• Férias em Fátima, para Pais com Pessoas Deficientes: Inscrição até 30 de Junho. Informações: http://www.fatima.pt/portal/index.php?id=43618.

 

 

O Pároco, saúdo a todos os Visitantes,na comunhão e alegria de Jesus Cristo, Eucaristia, que nos é oferecido neste Sacramento do seu Amor: a sagrada Eucaristia. Aos Noivos a preparar o seu Casamento, aos Jovens que vão entrar em Exames, Aos que nesta Semana farão Anos de Nascimento, de Batismo ou Casamento Dias felizes com Jesus Cristo, Pão da Vida que nos é dado na Eucaristia. Às famílias de luto, sentioda comunhão na oração e na Esperança. A todas as Famílias, uma boa semana, na Paz e Amor de Jesus. 
O Pároco, P. Alípio

 

FESTAS SACERDOTAIS EM GONDOMAR

Próximos Eventos, desta Caminhada sacerdotal de todo o Povo:

 Comissão das Festas Sacerdotais - Reúne Dia 03 de Junho, às 21:30h, no Salão Paroquial.

 

ACONTECE PROXIMAMENTE
Para ir registando e reservando disponibilidade
 CAE-(Conselho Assuntos Económicos-Reúnem dia 11, às21.30h
 Movimento Mensagem de Fátima-Reúne às 09:30hVida Ascendente-Reúne dia 12 -ás 15:30h
 Missa Monte Crasto-dia 13 às 08:30h
 Dia de Santo António-Dia 13 Missa e Benção de Pão às 09:30h 
 Aniversário Agrupamento 278- Convivio na Tenda -dia 15
 Festa Santo António-dia 16 de Junho-Missa solene às11:30h- Procissão às 17:00h 
 Festa da Catequese Matriz-Missa às 16:00h -Logo a seguir Convívio 
 Crisma na nossa Paróquia de Gondomar/S. Cosme - Dia 13 de Julho, às 16:00h, na Matriz. 
 Confissões preparatórias - Dia 02 de Julho, 21,30h.
 Vigilia com o Sr. Bispo - Dia 05 Julho, 21,30h.
 Pede-se aos paroquianos para não irem a Eucaristia das 16:00h do dia 13 de Julho Matriz- Crisma

 

 

Ano 2017 Centenário da Senhora do Rosário de Fátima. Tema do próximo Ano 2013: «Não tenhais medo» Pode também acompanhar a vida da nossa Comunidade e melhor vir às Celebrações e Eventos, em http://goo.gl/TFvOS Experimente o link.
Liturgia comentada: Portal dos Dehonianos
Corpo de Deus
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas, - Lc 9, 11b-17
Naquele tempo, estava Jesus a falar à multidão sobre o reino de Deus e a curar aqueles que necessitavam. O dia começava a declinar. Então os Doze aproximaram-se e disseram-Lhe: «Manda embora a multidão para ir procurar pousada e alimento às aldeias e casais mais próximos, pois aqui estamos num local deserto». Disse-lhes Jesus: «Dai-lhes vós de comer». Mas eles responderam: «Não temos senão cinco pães e dois peixes... Só se formos nós mesmos comprar comida para todo este povo». Eram de facto uns cinco mil homens. Disse Jesus aos discípulos: «Mandai-os sentar por grupos de cinquenta». Assim fizeram e todos se sentaram. Então Jesus tomou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos ao Céu e pronunciou sobre eles a bênção. Depois partiu-os e deu-os aos discípulos, para eles os distribuírem pela multidão. Todos comeram e ficaram saciados; e ainda recolheram doze cestos dos pedaços que sobraram. Palavra da Salvação.
A BELEZA E A VERDADE DA LITURGIA
CONGREGAÇÃO PARA O CULTO DIVINO E A DISCIPLINA DOS SACRAMENTOS
INSTRUÇÃO
REDEMPTIONIS SACRAMENTUM
Sobre algumas coisas que se devem observar 
e evitar acerca da Santíssima Eucaristia

 

 

ÍNDICE

PROÊMIO [1-13] 
CAPÍTULO I
A ordenação da sagrada Liturgia [14-18] 
1. O Bispo diocesano, grande sacerdote de seu rebanho [19-25] 
2. A Conferência de Bispos [26-28] 
3. Os presbíteros [29-33] 4. Os diáconos [34-35] 
CAPÍTULO II
A participação dos fiéis leigos na celebração da Eucaristia 
1. Uma participação ativa e consciente [36-42] 
2. Tarefas dos fiéis leigos na celebração da santa Missa [43-47] 
CAPÍTULO III
A celebração correta da santa Missa 
1. A matéria da Santíssima Eucaristia [48-50] 
2. A Oração eucarística [51-56] 
3. As outras partes da Missa [57-74] 
4. A união de vários ritos com a celebração da Missa [75-79] 
CAPÍTULO IV
A sagrada Comunhão 
1. As disposições para receber a sagrada Comunhão [80-87] 
2. A distribuição da sagrada Comunhão [88-96] 
3. A Comunhão dos sacerdotes [97-99] 
4. A Comunhão sob as duas espécies [100-107] 
CAPÍTULO V
Outros aspectos que se referem à Eucaristia 
1. O lugar da celebração da santa Missa [108-109] 
2. Diversos aspectos relacionados com a santa Missa [110-116] 
3. Os vasos sagrados [117-120] 
4. As vestes litúrgicas [121-128] 
CAPÍTULO VI
A conservação da santa Eucaristia e seu culto fora da Missa 
1. A conservação da Santíssima Eucaristia [129-133] 
2. Algumas formas de culto à santa Eucaristia fora da Missa [134-141] 
3. As procissões e os congressos eucarísticos [142-145] 
CAPÍTULO VII
Ministérios extraordinários dos fiéis leigos [146-153] 
1. O ministro extraordinário da sagrada Comunhão [154-160] 
2. A pregação [161] 
3. Celebrações particulares que se realizam na ausência do sacerdote [162-167] 
4. Aqueles que têm sido afastados do estado clerical [168] 
CAPÍTULO VIII
As Correções [169-171] 
1. Graviora delicta (Atos Graves) [172] 
2. Os atos graves [173] 
3. Outros abusos [174-175] 
4. O Bispo diocesano [176-180] 
5. A Sé apostólica [181-182] 
6. Queixas pelos abusos em matéria litúrgica [183-184] 
CONCLUSÃO [185-186] 
Continuação: 
CAPÍTULO I
A ORDENAÇÃO DA SAGRADA LITURGIA 
[14.] «A ordenação da sagrada Liturgia é da competência exclusiva da autoridade eclesiástica; esta reside na Sé apostólica e, na medida que determine a lei, no Bispo».[34] 
[15.] O Romano Pontífice, «Vigário de Cristo e Pastor da Igreja universal na terra... tem, em virtude de sua função, poderio ordinário, supremo, pleno, imediato e universal na Igreja, e que pode sempre exercer livremente»,[35] ainda comunicando aos pastores e aos fiéis. 
[16.] Compete à Sé apostólica ordenar a sagrada Liturgia da Igreja universal, editar os livros litúrgicos, revisar suas traduções a línguas vernáculas e vigiar para que as normas litúrgicas, especialmente aquelas que regulam a celebração do santo Sacrifício da Missa, se cumpram fielmente em todas partes.[36] 
[17.] «A Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos trata no que corresponde a Sé apostólica, salvo a competência da Congregação para a Doutrina da Fé, respectivamente à ordenação e promoção da sagrada liturgia, em primeiro lugar dos sacramentos. Fomenta e tutela a disciplina dos sacramentos, especialmente referente a sua celebração válida e lícita». Finalmente, «vigia atentamente para que se observem com exatidão as disposições litúrgicas, se previnam seus abusos e se erradiquem onde se encontrem».[37] Nesta matéria, conforme à tradição de toda a Igreja, destaca o cuidado da celebração da santa Missa e do culto que se tributa à Eucaristia fora da Missa. 
[18.] Os fiéis têm direito a que a autoridade eclesiástica regule a sagrada Liturgia de forma plena e eficaz, para que nunca seja considerada a liturgia como «propriedade privada, nem do celebrante, nem da comunidade em que se celebram os Mistérios».[38] 
1. O Bispo Diocesano, grande Sacerdote de seu rebanho
[19.] O Bispo diocesano, primeiro administrador dos mistérios de Deus na Igreja particular que lhe tem sido confiada, como o moderador, promotor e custódio de toda a vida litúrgica.[39] Pois «o Bispo, por estar revestido da plenitude do sacramento da Ordem, é "o administrador da graça do supremo sacerdócio"[40], sobretudo na Eucaristia, que ele mesmo celebra ou procura que seja celebrada[41], e mediante a qual a Igreja vive e cresce continuamente».[42] 
[20.] A principal manifestação da Igreja tem lugar cada vez que se celebra a Missa, especialmente na igreja catedral, «com a participação plena e ativa de todo o povo santo de Deus, [...] em uma mesma oração, junto ao único altar, onde preside o Bispo» rodeado por seu presbitério, os diáconos e ministros.[43] Além disso, «toda legítima celebração da Eucaristia é dirigida pelo Bispo, a quem tem sido confiado o ofício de oferecer à Divina Majestade o culto da religião cristã e de regulamentá-lo em conformidade com os preceitos do Senhor e as leis da Igreja necessitadas mais concretamente para sua diocese, de acordo com seu critério».[44] 
[21.] Com efeito, «ao Bispo diocesano, na Igreja a ele confiada e dentro dos limites de sua competência, corresponde-lhe dar normas obrigatórias para todos, sobre a matéria litúrgica».[45] Sem dúvida, o Bispo deve ter sempre presente que não se impeça a liberdade prevista nas normas dos livros litúrgicos, adaptando a celebração, de modo inteligente, seja à igreja, seja ao grupo de fiéis, seja às circunstâncias pastorais, para que todo o rito sagrado universal esteja verdadeiramente acomodado ao caráter dos fiéis.[46] 
[22.] O Bispo rege a Igreja particular que lhe tem sido confiada[47] e a ele corresponde regulamentar, dirigir, estimular e algumas vezes também repreender[48], cumprindo o ministério sagrado que tem recebido pela ordenação episcopal,[49] para edificar seu rebanho na verdade e na santidade.[50] Explique o autêntico sentido dos ritos e dos textos litúrgicos e eduque no espírito da sagrada Liturgia aos presbíteros, diáconos e fiéis leigos,[51] para que todos sejam conduzidos a uma celebração ativa e frutuosa da Eucaristia,[52] e cuide igualmente para que todo o corpo da Igreja, com o mesmo espírito, na unidade da caridade, possa progredir na diocese, na nação, no mundo.[53] 
[23.] Os fiéis «devem estar unidos a seu Bispo como a Igreja a Jesus Cristo, e como Jesus Cristo ao Pai, para que todas as coisas se harmonizem na unidade e cresçam para glória de Deus».[54] Todos, inclusive os membros dos Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, e todas as associações ou movimentos eclesiais de qualquer gênero, estão submetidos à autoridade do Bispo diocesano em todo o que se referir à liturgia,[55] salvo as legítimas concessões do direito. Por tanto, compete ao Bispo diocesano o direito e o dever de visitar e vigiar a liturgia nas igrejas e oratórios situados em seu território, também aqueles que sejam fundados ou dirigidos pelos citados institutos religiosos, além dos fiéis, ainda que de forma habitual.[56] 
[24.] O povo cristão, por sua parte, tem direito a que o Bispo diocesano vigie para que não se introduzam abusos na disciplina eclesiástica, especialmente no ministério da palavra, na celebração dos sacramentos e sacramentais, no culto a Deus e aos santos.[57] 
[25.] As comissões, pareceres dos comitês, instituídos pelo Bispo, para que contribuam a «promover a ação litúrgica, a música e a arte sacra em sua diocese», devem atuar de acordo com critérios e normas do Bispo, sob sua autoridade e contando com sua confirmação; assim cumprirá seu tarefa adequadamente[58] e se manterá na diocese o governo efetivo do Bispo. Destes organismos, de outros institutos e de qualquer outra iniciativa em matéria litúrgica, depois de certo tempo, resulta urgentemente que os Bispos indaguem se até o momento tem sido frutuosa[59] sua atividade, e cautelosamente quais as correções ou melhoramentos se devem introduzir em seu estrutura e em sua atividade,[60] para que encontrem nova vitalidade. Se tenha sempre presente que os peritos devem ser elegidos entre aqueles que sejam firmes na fé católica e verdadeiramente preparados nas disciplinas teológicas e culturais. 
2. A Conferência dos Bispos
[26.] Isto vale também para as comissões da mesma matéria, que, vivamente desejadas pelo Concílio,[61] são instituídas pela Conferência de Bispos e da qual é necessário que sejam membros os Bispos, sendo distintos com clareza dos ajudantes peritos. Quando o número dos membros da Conferência de Bispos não seja suficiente para que se elejam entre eles, sem dificuldade e se institua a comissão litúrgica, nomeie-se um conselho com o grupo de peritos que, na medida do possível e sempre sob a presidência de um Bispo, desempenhem estas tarefas; evitando, sem dúvida, o nome de «comissão litúrgica». 
[27.] A interrupção de todos os experimentos sobre a celebração da santa Missa, tem sido notificada pela santa Sé já desde o ano 1970 [62] e novamente se repetiram, para se recordarem, no ano 1988.[63] Portanto, cada Bispo e a mesma Conferência não têm nenhuma capacidade para permitir experimentos sobre os textos litúrgicos ou sobre outras coisas que se indicam nos livros litúrgicos. Para que se possam realizar no futuro tais experimentos, se requer a permissão da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, que concederá por escrito, prévia petição da Conferência de Bispos. Para isso não se concederá a não ser numa causa grave. No que se refere à inculturação em matéria litúrgica, devem-se observar, estrita e integralmente, as normas especiais estabelecidas.[64] 
[28.] Todas as normas referentes à liturgia, que a Conferência de Bispos determine para seu território, conforme às normas do direito, se devem submeter ao reconhecimento da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, sem a qual, não têm valor legal.[65] - Continua

 

< anterior   Seguinte >
J.A.T. template series was designed 2006 by 4bp.de: www.4bp.de, www.oltrogge.ws
Patanol