J.A.T. template series was designed 2006 by 4bp.de: www.4bp.de, www.oltrogge.ws
09-InformaçãoParoquial de 26 Fevereiro a 04 de Março 2012 Imprimir EMail

 

INFORMAÇÃO PAROQUIAL DE 26 de fevereiro

a

4 DE março de 2012

 

ACONTECE ESTA SEMANA: 26 de Fevereiro a 4 de Março 2012

 

1-    VISITADORES DE DOENTES – Reúnem dia 27 às 21.15h na Matriz

 

2-    VIA – SACRA – TODAS AS TERÇAS, NA MATRIZ. Estamos no Tempo da Quaresma, por isso vai começar como de costume a Via-Sacra. A primeira Via-Sacra é no dia 28 às 21.30h na Matriz, a Cargo da Equipa dos Leitores. Aproveitemos estes momentos para participarmos com alegria e Oração para recebermos a Páscoa do Senhor.

 

3-    GAC – Grupo de Animação Paroquial – Reúne dia 28 às 21.30h

 

4-    CAE – Conselho para os assuntos económicos – Reúne dia 28 às 21.30h

 

5-  CONFISSÕES NA MATRIZ – Dia 29 às 15.00h, têm as habituais Confissões para a primeira Sexta-Feira de cada mês. O Pároco atende de Confissão sempre que solicitado, e de Terça a Sexta, no Final da Missa, das 09,15h, até às 10h.

 

6-    TODOS OS MEC DA PARÓQUIA - Reunirão no dia 1 de Março na Matriz, com Adoração ao Santíssimo, às 21.30h. Depois breve Reunião.

 

7-    VAMOS À MUSICA III: Carnaval dos Animais de Camille Saint-Saens, por Músicos da nossa Terra, no Auditório Municipal, dia 2 de Março às 21.30h.

 

8-    DIA PAROQUIAL DA BIBLIA – No dia 4 de Março é o dia Paroquial da Bíblia e Festa da Palavra em todos os Centros. Estamos também a celebrar o 7º Aniversário da Missão Bíblica, por isso neste Domingo vai ser exibido no Salão Paroquial um filme Bíblico às 15.30h, a entrada é livre, no intervalo vai ser servido um chá. Vamos participar e Conviver.

 

9-    Seminário Anual 2012 – Escutismo e FamíliaAuditório Municipal de Gondomar, Dias 03 e 04 de Março. Missa de Encerramento, na nossa Igreja Paroquial, Domingo, Dia 04, às 16,30h, com o nosso Bispo do Porto.

 

10- ATIVIDADE VICARIAL DA FAMILIA. Mais uma vivencia vicarial da Família, neste Ano. Via-sacra, com Família e Juventude, na Igreja Paroquial, Dia 06 de Março, 21,30h. Todos estão convidados. Haverá Oração igual em todas as Paróquias de Gondomar, neste mesmo dia, numa corrente de Família Vicarial.

 

11- DIA VICARIAL DO CATEQUISTA – Dia de Formação e Convívio, para todos os Catequistas de Gondomar. Em Baguim, Dia 10 de Março, das  09,30h – às 18h. O Tema é:NOVA CATEQUESE? Coordenará os trabalhos o P. António Vasco Gonçalves, de Viana do Castelo. 

 

12- ASSEMBLEIA GERAL DA ASSOCIAÇÃO DOS DADORES DE SANGUE DE GONDOMAR – Reúne, Dia 10 de Março, 21h, no salão Paroquial de Gondomar/S. Cosme.

 

A Liturgia deste Domingo:    A Palavra de Deus – é farol semanal

 

L 1- Gen 9, 8-15; Sal-24, 4bc-5ab.6-7bc.8-9;L 2- 1 Pedro 3,18-22

 

A NOSSA COMUNIDADE - Nos Acontecimentos de todos:

 

Visitas pastorais à Vigararia/Concelho de Gondomar

1-    MELRES24 a 26 de Fevereiro 2012

 

VÉSPERAS – QUARESMA – Vai continuar nos tempos fortes a Oração de Vésperas. Todos os Sábados durante a Quaresma às 18.30h na Matriz.

 

A RENÚNCIA

PARA O CONTRIBUTO PENITENCIAL

NA DIOCESE DO PORTO

 

2012

«…No que à Diocese respeita,

 complementemos as outras exercitações quaresmais com a renúncia material, que continuará a destinar-se ao Fundo Social Diocesano, com que correspondemos a tantas solicitações que nos são feitas (com o recebido, o Fundo Social Diocesano distribuiu desde a última Quaresma 182 500 euros, especialmente através das Conferências de São Vicente de Paulo e da Cáritas Diocesana, contemplando ainda diversas instituições de solidariedade).

Com tudo isto vos desejo uma Feliz Quaresma, da autêntica felicidade da Cruz, em que a vida se ganha na oferta!»

+Manuel Clemente, Bispo do Porto

Na nossa Paróquia de Gondomar, faremos a recolha Final das Renuncias para oContributo Penitencial – NO FIM DE SMANA DOS RAMOS: 31 de Março e 01 de Abril

CURSO BIBLICO NOS CAPUCHINHOS – De 05 a 09 de Março, às 21,15h. O Tema é muito sugestivo e oportuno: Páscoa – Vida Nova em Cristo. Participem.

 

DIREITOS PAROQUIAIS – O CAE (Conselho para os Assuntos Económicos) /Comissão Fabriqueira, está a fazer uma campanha de informação e sensibilização em ordem aos Direitos Paroquiais de 2011 e anteriores. Lembrando os Preceitos da Igreja, que ensinam qual é a missão de todas as Famílias. Neste fim-de-semana vão ser distribuídos, em todas as Eucaristias, folhetos informativos sobre a Missão e Obrigação de todos os Paroquianos. No fundo da Igreja estão envelopes que levarão para casa. Aí colocarão os Direitos Paroquiais, que entregarão na Sacristia da Matriz ou no Cartório. Podem pedir o respectivo recibo para deduções fiscais. Basta colocar NIF – N. Identificação Fiscal, nome e morada exactos.

 

Reunião com todos os Pais do Terceiro Ano da Catequese Paroquial de S. Cosme – Dia 23 de Março, às 21,30h – Nos Capuchinhos.

 

CONFISSÕES QUARESMAIS NA IGREJA PAROQUIAL, MATRIZDia 27 de Março, às 21,30h. O Pároco atende de Confissão sempre que solicitado, e de Terça a Sexta, no Final da Missa, das 09,15h, até às 10h.

Preparemos o Ano da Fé, na alegria e gratidão deste tempo pós Visita Pastoral, segundo o lema na nossa Igreja diocesana, para este Ano: Família e Juventude – Viver em Comunhão, Formar para a Comunhão.

O Pároco saúda a todos vós, caros Leitores, em nome de toda a nossa Comunidade Paroquial de Gondomar/S. Cosme e S. Damião. Às Famílias enlutadas, com problemas difíceis de saúde ou outros, desejamos a força do Pai e que a Paz e Amor do Senhor, os confortem nesta quaresma, melhorando as suas vidas. Cumprimentos de sentida comunhão e amizade por todos. Pároco: P. Alípio Barbosa

 

DOMINGO 26 DE FEVEREIRO DE 2012

DOMINGO I DO TEMPO DA QUARESMA ANO – B

Evangelho segundo S. Marcos 1,12-15.

Naquele tempo, o Espírito Santo impeliu Jesus para o deserto.
E ficou no deserto quarenta dias. Era tentado por Satanás, estava entre as feras e os anjos serviam-no.
Depois de João ter sido preso, Jesus foi para a Galileia, e proclamava o Evangelho de Deus,
dizendo: «Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo: arrependei-vos e acreditai no Evangelho.»

Palavra da Salvação

IGREJA VIVA

Homilia do Bispo do Porto – D. Manuel Clemente, Para a Quaresma – 2012

Uma Feliz Quaresma, da autêntica felicidade da Cruz!


“Tende cuidado em não praticar as vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles … O teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa”.

Amados irmãos: Este cuidado que Cristo nos inculca, parecendo simples, é o mais custoso; e pode ser até a Quaresma toda. Não só este tempo de graça, rumo à Páscoa de 2012, mas a própria vida, como realização nossa unicamente em Deus e abarcando universalmente a todos.

“Ser vistos pelos outros” é tendência atávica e espontânea, que nos leva a viver mais superficial que verdadeiramente. O que é de facto grande mal e despiste certo. Em Cristo, revelação do que havemos de ser no seu Espírito, acontece exatamente o contrário: Jesus vive autenticamente, isto é, na consistência íntima em que sempre se define.

Cristo vive do Pai e para o Pai, da primeira à última frase que lhe ouvimos, segundo São Lucas. Assim pelos doze anos no templo, respondendo a Maria e José: “Não sabíeis que devia estar em casa de meu Pai?” (Lc 2, 49). Assim pelos trinta e cravado na cruz: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito!” (Lc 23, 46). E, quanto a sustento, motivação ou propósito, também não deixou margem para dúvidas, como adianta no 4º Evangelho: “O meu alimento é fazer a vontade d’Aquele que me enviou e realizar a sua obra” (Jo 4, 34).

Amados irmãos, esta essencial atenção ao Pai é a verdadeira Quaresma de Jesus, como as tentações que venceu bem demonstram. Em qualquer dos relatos a propósito, é o desvio da atenção para si, o seu próprio interesse ou ostentação, que liminarmente rejeita. Assim em São Mateus: “Nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus… Não tentarás ao Senhor teu Deus… Ao Senhor, teu Deus adorarás e só a Ele prestarás culto!” (cf. Mt 4, 1 ss).

- Que importantes e oportunas são estas sagradas referências! São-no sempre, porque tais palavras “não passarão”. Ouvidas e assimiladas por cada um de nós, concentrar-nos-ão também em Deus como o verdadeiro tudo da nossa vida, seja em que fase for e em qualquer circunstância. Frases que repetimos tanto, como “seja o que Deus quiser”, ganharão mais coerência e autêntica substância, libertadora enfim. Convertendo-nos “dos ídolos a Deus”, livrar-nos-ão a alma de ansiedades vãs, dolorosas frustrações e desilusões pesadas. Não nos deixarão trocar a esperança, teologalmente garantida, por desejos nossos, demasiadamente nossos, que só adiam a vida, mesmo parecendo entretê-la. Como as cinzas que receberemos e já foram chama e lume, fugazmente o foram…

Isto quanto a nós e muito em geral. Mas mal seria, ainda agora, se tivéssemos presente a Liturgia, sem estarmos nós presentes nela e por ela convertidos. Olhando a Deus, como O entrevemos em Cristo, ouvindo-O sobretudo a Ele, na Palavra tão selecionada e certa que a Igreja nos oferece em cada Missa ou Ofício. Alimentando-nos espiritualmente assim, certos de que o mais virá depois por acréscimo. Para ficarmos realmente em Quaresma, diante de Deus e de todos, no único Espírito de Cristo.

Mas a oportunidade redobra-se na atual situação do mundo, a começar pelo que nos toca mais de perto. – Pois não foi em grande parte o contrário que nos trouxe às atuais circunstâncias, pesadas circunstâncias para todos? – Não foi o autocomprazimento, a autoimposição dos desejos, a demorada ambição do ter, do parecer ou do poder que nos fez olvidar os outros, bem como o significado autêntico da vida e da convivência?

Infelizmente e em tão excessiva medida, o “ser visto” e apreciado pelos outros, segundo os critérios do sucesso, da fama e da moda, pesaram muito nos objetivos, como sobrepesam agora nas frustrações e desistências. Infelizmente assim foi e também pode continuar a ser, se não voltarmos decididamente o olhar para Deus, “mais íntimo do que o nosso próprio íntimo e mais alto do que a nossa maior altura”, como ensinou Santo Agostinho. Este mesmo, inesquecível mestre das verdades re-encontradas, ainda que demorasse a descobri-las como tais. São dele estes arranques de alma, nunca por demais citados e que nos faria bem decorar, tão inultrapassáveis são: “Tarde Vos amei, ó beleza tão antiga e sempre nova, tarde Vos amei! Vós estáveis dentro de mim, mas eu estava fora, e fora de mim Vos procurava; com o meu espírito deformado, precipitava-me sobre as coisas formosas que criastes. Estáveis comigo e eu não estava convosco, Retinha-me longe de Vós aquilo que não existiria se não existisse em Vós. Chamastes, clamastes e rompestes a minha surdez. Brilhastes, resplandecestes e dissipastes a minha cegueira. Exalastes sobre mim o vosso perfume: aspirei-o profundamente, e agora suspiro por Vós. Saboreei-Vos, e agora tenho fome e sede de Vós. Tocastes-me e agora desejo ardentemente a vossa paz” (Confissões, 10).

Vida em Cristo e com Cristo “escondida em Deus”, na magnífica expressão da Carta aos Colossenses (3, 3). Ele sim é que há de ver-nos, como só Ele, “que vê o que está oculto”, realmente nos percebe, aceita e recompensa. O mundo, amados irmãos, o nosso mundo precisa de gente assim, que só a Deus dê honra e glória, nisso mesmo se honrando, em humildade sempre e louvor constante. Simples e finalmente assim, vivendo em Cristo para o Pai e para todos, como assinala a Cruz de todas as Quaresmas.

Quando nos esvaziarmos de nós para sermos de Deus, haverá lugar para todos, como sempre havia em Cristo. Ele cumpriu inteiramente a vontade do Pai, procurando-nos sem descanso. Olhou-nos fixamente com aquele olhar que recebeu do Pai, ansioso sempre do regresso dos pródigos. Ele, que é “Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro”, também “por nós homens e para nossa salvação desceu do Céu”.

E é também por isso que a adoração do Pai, acrescentada agora pelas observâncias quaresmais, nos fixará o olhar onde Deus poisa o seu, isto é, nos outros, que Ele ama e requer.

Tem toda a oportunidade aqui a Mensagem que o Papa Bento XVI nos ofereceu para esta Quaresma. Parte dum versículo da Carta aos Hebreus (10, 24), sobremaneira incisivo: “Prestemos atenção uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras”. E nesta citação vai logo o essencial, tantas vezes demorado, por estarmos mais interessados em que sejam os outros a prestar-nos a atenção e o louvor que, bem vistas as coisas, só a Deus se devem. Deus, a fonte permanente de qualquer bem que houver.

O Santo Padre prossegue a Mensagem – leitura indispensável nesta Quaresma de cada um de nós – insistindo no significado etimológico e na incidência geral que esse “prestar atenção” acarreta. Lembra, por exemplo, que o termo traduz um verbo grego “que significa observar bem, estar atento, olhar consciosamente, dar-se conta de uma realidade”.

- Pois bem, amados irmãos, que atenção prestamos ou havemos de prestar, muito concretamente, a quem nos rodeia ou nos espera? Sucessivas notícias nos alertam para muitas gente que vive só e finalmente morre só e desapercebida, mesmo ao pé da porta…. Apelos redobrados solicitam-nos para refazermos vizinhanças, tão esquecidas. E isto mesmo, quando a tecnologia nos permite uma comunicação permanente, que não pode ficar-se por mera distração virtual. Até para não corrermos o risco de termos opinião sobre tudo, conhecendo realmente quase nada… Autojustificações ociosas, que nada resolvem e tudo alienam e adiam.

Somos cristãos do nome que nos deram. Mas sejamo-lo de facto, da vida que levamos no Espírito de Cristo, eterno adorador do Pai e constante servidor de todos, mesmo quando resistia a que lhe divulgassem os milagres, autênticos os seus. E olhemos os outros como Cristo os olhou, Ele que teve olhos humanos para ver e ser visto, com a infinda misericórdia que os Evangelhos relatam, mesmo quando propunha opções decisivas. Como quando fez depender a nossa salvação da correspondência que prestarmos à sua presença nos outros: “Sempre que fizestes isto – dar sustento, acolher ou visitar – a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim mesmo o fizestes” (Mt 25, 40).

Façamo-lo então, amados irmãos. Tomai esta Quaresma como possibilidade e não como peso. Concentremo-nos em Deus e nos outros, em quem Ele nos espera. Deus é simples, em si e para nós. Não sejamos nós tortuosos, pelas tristes sendas dos egoísmos mal desculpados. Deus está aqui: adoremo-Lo pois. Cristo está nos outros, sirvamo-Lo com alegria. “O Pai, que vê o que está oculto, vos dará a recompensa”.

Resumindo ainda: 1) Seja uma Quaresma de atenção redobrada a Deus e aos outros, interiormente orantes e exteriormente ativos, em caridade sempre. 2) Compreendamos que o amor de Deus, “derramado em nossos corações pelo Espírito Santo” (Rm 5, 5), não contraria, antes potencia infinitamente o humano afeto, impedindo-o de se fechar ou corromper em si mesmo, sendo por isso absolutamente ilegítimo opor solidariedade a caridade: Deus, “amigo dos homens”, é por excelência o “filantropo”; como nós o seremos precisamente quando ganharmos d’Ele o amor fontal que revelou em Cristo e ofereceu no Espírito. 3) Concretizemos a atenção aos outros no aprofundamento ou recriação de vizinhanças, do modo mais positivo e prático que possa ser e a oração nos inspire, como acontece naqueles trechos evangélicos em que Jesus parte da oração para a ação imediata junto deste ou daquele, interpelando ou servindo. 4) No que à Diocese respeita, complementemos as outras exercitações quaresmais com a renúncia material, que continuará a destinar-se ao Fundo Social Diocesano, com que correspondemos a tantas solicitações que nos são feitas (com o recebido, o Fundo Social Diocesano distribuiu desde a última Quaresma 182 500 euros, especialmente através das Conferências de São Vicente de Paulo e da Cáritas Diocesana, contemplando ainda diversas instituições de solidariedade).

Com tudo isto vos desejo uma Feliz Quaresma, da autêntica felicidade da Cruz, em que a vida se ganha na oferta!

+ Manuel Clemente, Quarta-feira de Cinzas, 22 de Fevereiro de 2012

 

< anterior   Seguinte >
J.A.T. template series was designed 2006 by 4bp.de: www.4bp.de, www.oltrogge.ws
Patanol